total de 752 jogos na 1ª Divisão/Liga / 825 pontos conquistados na 1ª Divisão/Liga / 769 golos marcados na 1ª Divisão/Liga
FINAL DA TAÇA DE PORTUGAL: 1/MAIO /1984 e 18/MAIO/2014 FINAL DA TAÇA DA LIGA: 7/MAIO/2014 FINAL DA SUPERTAÇA: 10/AGOSTO/2014
TÍTULOS 2ª DIVISÃO/LIGA 1985/86; 1995/96 e 2002/03 3ª DIVISÃO 1976/77 3º MELHOR CLUBE PORTUGUÊS (IFFHS) 2014

LIGA NOS 2017/18 17/DEC 16h00 Chaves - Rio Ave FC 02/JAN 20h15 Rio Ave FC - Paços de Ferreira
TAÇA DE PORTUGAL 13/DEC 21h00 5ª eliminatória Rio Ave FC - Benfica TAÇA DA LIGA 21/DEC 21h00 Porto - Rio Ave FC

ORGANIZAÇÕES FIFA UEFA FPF LPFP AFPORTO

segunda-feira, 16 de março de 2009

Casaca

O texto de hoje é sobre o Casaca, jogador que nos representou entre as épocas de 1981/82 a 1983/84. Este texto foi publicado no blogue Glórias do Passado em 25 de Março de 2007.

Rui Manuel Magalhães Casaca, era um meio campista que jogou na 1ª Divisão portuguesa durante mais de 10 anos, principalmente ao serviço do Rio Ave FC e do Boavista FC. Nasceu em Marco de Canavezes no dia 18 de Outubro de 1959, e com 14 anos de idade registava a sua primeira inscrição oficial como jogador de futebol concretamente nas camadas mais jovens do SC Braga na época de 1973/74.
Antes de chegar à 1ª Divisão Nacional jogou ainda no Arcos de Valdevez, até que na época de 1981/82 faz a sua estreia no mais alto escalão do futebol nacional ao serviço do Rio Ave FC com 22 anos de idade.
Jogou durante 3 épocas consecutivas no clube vilacondense até que se transferiu no inicio da temporada de 1984/85 para o Boavista FC, juntamente com o seu colega de equipa o guarda redes Alfredo, que efectuou idêntico trajecto ao realizado por Casaca.
(Casaca na época de 1982/83 no Rio Ave FC)
(Plantel do Rio Ave FC na época de 1982/83)
(Casaca com a camisola do Rio Ave FC)
(Plantel do Rio Ave FC em 1982/83 no velhinho Campo da Avenida)
(Casaca novamente com a camisola do Rio Ave FC)
Acrescente-se todavia que, no Rio Ave FC, Casaca integrou talvez a mais famosa equipa dos vilacondenses de toda a sua história, precisamente aquela que atingiu a final da Taça de Portugal em 1983/84, que acabou perdendo o troféu para o FC Porto.
Aquela famosa geração do Rio Ave FC deu muitos jogadores de qualidade aos principais clubes portugueses, como o caso do aqui recordado Casaca, mas também de Alfredo, Quim ou Paquito.
(Casaca em acção com o equipamento do Rio Ave FC)
(Casaca no Rio Ave FC em 1983/84)
Como acima se disse Casaca chegou ao Bessa em 1984/85 onde permaneceu durante 10 temporadas, quase sempre como titular no meio campo boavisteiro, conseguindo algumas das mais brilhantes classificações colectivas do Boavista FC no Campeonato Nacional da 1ª Divisão, e o seu único troféu nacional.
Casaca era o capitão do Boavista FC quando a turma do Bessa, então treinada por Manuel José, conquistou a Taça de Portugal na época de 1991/92 derrotando na final do dia 24 Maio de 1992 o FC Porto por 2-1.
(Equipa do Boavista FC que conquistou no Estadio do Jamor a Taça de Portugal de 1991/92 com Casaca como capitão de equipa)
Abandonou a carreira de jogador profissional de futebol no final da época de 1993/94 no Boavista FC e a partir da temporada seguinte integrou os quadros técnicos do clube axadrezado ocupando as funções de treinador adjunto de Manuel José na equipa principal de futebol.
Enquanto jogador, o Casaca defrontou varias vezes o Vitoria Sport Clube, quer enquanto jogador do Rio Ave FC ou no Boavista FC. Dos inúmeros encontros de Casaca com a equipa de Guimarães, destacamos o jogo da 8ª jornada do Campeonato Nacional da 1ª Divisão da época de 1991/92 disputado no Estádio Municipal de Guimarães perante quase 20.000 espectadores.
Em jogo polémico apitado pelo controverso Vítor Correia de Lisboa, numa tarde de sol e com temperatura amena, o Vitoria alinhou com: Jesus; Basílio (capitão), Matias, Frederico e Caetano; Paulo Bento, Basaula e Pedro; Paulo Jorge, Caio Júnior e Ziad. Na 2ª parte ainda jogaram Soeiro e N´Dinga que entraram respectivamente para os lugares de Basaula e Caio Júnior, ficando no banco de suplentes sem ser utilizados o guarda redes Madureira, e os jogadores de campo João Baptista e Moreira de Sá. O Vitória era treinado por João Alves.
Por seu turno a equipa do Boavista FC, treinada pelo Manuel José apresentou o seguinte onze: Pudar; Paulo Sousa, Barny, Samuel e Fernando Mendes; Casaca (capitão), Tavares e Nelo; Marlon, Ricky e João Pinto. Jogaram ainda Bobo e o avançado Coelho, que entraram para o lugar de Samuel e João Pinto. No banco de suplentes e não utilizados neste encontro, ficaram pelo Boavista FC, o guarda redes Alfredo e os jogadores Jaime e Eduard.
O Vitoria venceu este encontro por 2-0 com golos de Caio Júnior aos 28 minutos e de Ziad aos 45.
O destaque deste jogo é que numa e noutra equipa encontravam-se quer jogadores, quer treinadores, que haviam representado os 2 emblemas em confronto e por isso companheiros de Casaca. No Vitoria, alem do técnico João Alves, que comandou Casaca no Boavista FC, estava Frederico e Caetano que foram largos anos seus companheiros de equipa. No Boavista FC, alem de Manuel José que também foi treinador do Vitoria, estavam também Samuel e Bobo que também representaram a equipa de Guimarães.
Rui Casaca, nome pelo qual nos dias de hoje é mais conhecido, prosseguiu a sua carreira ligado ao futebol. De adjunto de Manuel José no Boavista FC, foi para o SC Braga onde foi integrado na estrutura profissional da SAD bracarense como Director Desportivo.
(Plantel do SC Braga em 1999/00 com Rui Casaca como director desportivo da SAD)
Mais tarde regressou as funções de treinador adjunto no CF Belenenses treinado por Manuel José. No clube de Belém desempenhou também as funções de Director Desportivo da SAD até ao final da temporada passada.
Autor: Alberto de Castro Abreu

2 comentários:

Pinto disse...

Um reparo para a administração do blog...o Casaca só chegou ao Rio Ave em 82/83...em 81/82 ainda jogou no Atlético de Valdevez...é favor corrigir.

Blogue Rioavistas disse...

bom dia,

antes de mais o nosso obrigado pela leitura atenta deste post.

este texto não é de nossa autoria pelo que vamos entrar em contacto com o seu autor para lhe fazer chegar o seu reparo para posteriormente o corrigirmos.

mais uma vez o nosso obrigado