total de 789 jogos na 1ª Divisão/Liga / 873 pontos conquistados na 1ª Divisão/Liga / 820 golos marcados na 1ª Divisão/Liga
FINAL DA TAÇA DE PORTUGAL: 1/MAIO /1984 e 18/MAIO/2014 FINAL DA TAÇA DA LIGA: 7/MAIO/2014 FINAL DA SUPERTAÇA: 10/AGOSTO/2014
TÍTULOS 2ª DIVISÃO/LIGA 1985/86; 1995/96 e 2002/03 3ª DIVISÃO 1976/77 3º MELHOR CLUBE PORTUGUÊS (IFFHS) 2014

LIGA NOS 2018/19 13/JAN 20h00 17ª jornada Rio Ave FC - V.Setúbal 20/JAN 20h00 18ª jornada Rio Ave FC - Feirense 28/JAN 17h00 19ª jornada Marítimo - Rio Ave FC
LIGA EUROPA 02/AGO 20h00 2ª mão Rio Ave FC - Jagiellonia Bialystok TAÇA DE PORTUGAL 19/DEC h 5ª eliminatória Sporting - Rio Ave FC TAÇA DA LIGA 28/DEC h 3ª fase 3ª jornada Rio Ave FC - Paços de Ferreira
ORGANIZAÇÕES FIFA UEFA FPF LPFP AFPORTO

segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

Quatro seguidas! Venha a quinta

O Rio Ave entrou em campo hoje com a certeza que estaria a uma vitória de repetir a história ao conseguir quatro vitórias seguidas na primeira liga. Não deixa de ser só um facto para entreter adepto e como dizia Luís Castro na antevisão, não preparava a equipa para bater recordes, mas sim, para conquistar pontos para a obtenção do objectivo. O objectivo foi conseguido com justiça, principalmente pelos primeiros 15 minutos do segundo tempo.
Começando pelo início, causou estranheza na bancada as alterações no onze inicial, dando ideia de o míster estar a fazer poupanças para o jogo de Quarta, beliscando a velha máxima do futebol de que o jogo mais importante é o próximo. Não quero com isto dizer que os substitutos não tenham qualidade para serem titulares, sendo que Krovi neste momento é dos jogadores mais decisivos do plantel, Wakaso tem sido o motor da equipa nos últimos quatro anos e Lionn uma garantia na nossa asa direita. Apenas estranhamos o facto de haver alterações após uma vitória. Na verdade, entramos mal no jogo e o adversário teve mais iniciativa, embora sem criar lances de perigo iminente. A nossa qualidade de jogo era deficitária, sendo que, em quarenta e cinco minutos dispusemos apenas de uma ocasião de golo, tantas quantas o adversário.
Para o segundo tempo, Luís Castro percebeu que as coisas com e sem Filipe Augusto são diferentes, tendo o atleta entrado para substituir Tarantini. Coincidência ou não, nos primeiros cinco minutos da segunda parte, o Rio Ave fez dois golos. O primeiro num misto de Roderick, Wakaso e Aly Ghazal a dividirem os méritos do golo e o segundo num hino ao futebol, numa jogada de entendimento entre Heldon e Krovinovic, com o segundo a finalizar de forma sublime. Segundo golo da época do Croata que se afirma como uma das revelações da Liga. O adversário estava atónito com a entrada rioavista e seguiram-se mais uns contra-ataques venenosos da nossa equipa. Seguiu-se um contra-tempo com a lesão de Lionn, regressando Pedrinho. A partir dos 15 minutos, a equipa retraiu-se e deixou de se expôr a contra-ataques, mas permitiu que o adversário se acercasse da nossa baliza e nós deixássemos de ter bola. Foi numa bola parada que Willyan reduziu e até final pairou uma certa desconfiança e desconforto nas bancadas com resultado tão apertado. Foi com alívio que se ouviu o apito final e a garantia de mais 3 pontos, ficando a sensação que acima de tudo, a troca de treinador nos trouxe mais fortuna, com as bolas a entrarem seja com auto-golos(2 nos últimos 2 jogos) ou em desvios em torrões de relva. Futebol é isto meus senhores e que venha já a quinta na próxima quarta-feira.

Sem comentários: